Dedicado a Helena Terra

domingo, 17 de abril de 2016

De Gilberto Nable



O tratador de canários – IV


De mim pequenos hábitos se perderam:
já não desço à beira do rio
para meditar na tarde,
nem consulto mais relógio.

Perderam-se também muitas certezas,
e para desde sempre a calma.
A calma que, conforme me disseram,
Chegaria com a idade.

Pouco chegou, o mais se foi.
Doce carícia do vento,
janela aberta para o mar,
criança brincando na areia.

Sim, o mais se foi.


(O tratador de canários, 2010)




Gilberto Nable (1954) - Mineiro de Aiuruoca, mora em Belo Horizonte (MG). Publicou, entre outros, Percurso da ausência (2006), Mago sem pombos (2008) e O tratador de canários (2010).

Nenhum comentário:

Postar um comentário